Objetivos

“Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. E isso para que o servo de Deus esteja completamente preparado e pronto para fazer todo o tipo de boas ações.” 2 Timóteo 3.16-17

Ao longo da história, em todas as culturas, a humanidade tem buscado soluções para os problemas da vida. Cada geração oferece filosofias e novos modelos criados pelo homem, mas os problemas pessoais e interpessoais continuam a nos afligir. Mesmo dentro das Igrejas há casamentos infelizes e rompidos, consumo de drogas, depressão, ansiedade, medo, preocupação e muitos outros problemas que resultam em angústia, doenças físicas e estagnação.

                O recurso completo que identifica os problemas da vida e fornece soluções é a Bíblia. As promessas e a autoridade de Deus oferecem base para uma vida abundante. A Bíblia contém soluções para todos os problemas de atitude, relacionamento, comunicação e comportamento.

Grupos Familiares:

                O resgate da prática da Igreja Primitiva de se reunir nos lares. Na Igreja Primitiva, os cristãos se reuniam nos lares, não como uma opção, mas como o coração da Igreja local.

                Igrejas problemáticas e doentes espiritualmente advêm de famílias e pessoas problemáticas e doentes espiritualmente.

                Por sua vez, famílias e pessoas saudáveis espiritualmente, Igrejas saudáveis espiritualmente.

Discipulado em Profundidade:

                A Bíblia diz que as pessoas devem se examinar a si mesmas (ou confrontar) e se humilharem (Mateus 23.12; I Coríntios 11.31) porque o seu coração é enganoso e desesperadamente corrupto, além do que se possa compreender (Jeremias 17.9).

                Em lugar de confrontar a si mesmas, não deveriam estar edificando a si mesmas? Não deveriam evitar tudo quanto possa diminuir a auto-estima? Não deveriam aprender a amar a si mesmas antes de poder amar aos outros? Não deveriam saber como perdoar a si mesmas para poderem ter paz e alegria verdadeira?

                Perguntas como estas refletem o fato de que muitas pessoas estão seguindo um ensinamento falso que tem estado presente entre as pessoas desde o início dos tempos, mas que está alcançando uma popularidade sem precedentes na Igreja de hoje, a doutrina da exaltação e satisfação do ‘eu’. Baseia-se no entendimento errôneo do relacionamento do homem com Deus e impede o crescimento espiritual.

                O Discipulado em Profundidade está alicerçado sobre princípios bíblicos que fornecem padrões para uma vida de contentamento e vitória. Princípios bíblicos que se aplicam a todas as circunstâncias da vida.

Aconselhamento Bíblico:

                Ao longo dos séculos, os cristãos se relacionaram uns com os outros e juntos lidaram com os problemas do cotidiano de acordo com a Bíblia praticaram o Aconselhamento Bíblico. Os cristãos de hoje tem diante de si o desafio de ajudarem uns aos outros a refletirem a pessoa de Jesus Cristo nos mais diversos aspectos da vida. O Aconselhamento Bíblico como aspecto de dinâmica ministerial em que o Corpo de Cristo, capacitado pelo Espírito Santo e fundamentado na Palavra de Deus, ministra a vida dos cristãos, conforme o plano de Deus, de conformá-los progressivamente à imagem de Jesus Cristo.

                O ministério centrado em Cristo, Redentor e Senhor – O Deus da Palavra manifestou-se em Jesus Cristo e nEle está centrado o ministério em vidas. Os problemas da vida não encontram sua causa determinante no ambiente nem em circunstâncias pessoais a que estamos sujeitos, embora sejam múltiplas as influências que recebemos. Cristo dirige-se à necessidade primordial do homem, que é a sua redenção do pecado e a capacitação para viver de maneira agradável a Deus em meio a quaisquer circunstâncias (Colossenses 1.27-28; 2 Pedro 1.2-4).

                O ministério fundamentado na Palavra de Deus – Em dias quando a Bíblia costuma ser vista como útil e perceptiva, mas não suficiente para lidar com os problemas do homem atual, é preciso lembrar que a Palavra de Deus, inspirada e inerrante, interpretada corretamente e aplicada com cuidado sob a direção e o poder do Espírito Santo, oferece-nos a plena sabedoria de Deus que transforma vidas. No Aconselhamento Bíblico estão a autoridade, a suficiência e a supremacia da Bíblia. Desta forma o adjetivo ‘bíblico’ não deve indicar um aconselhamento baseado em metodologias diversas e acrescido de alguns versículos ou idéias das Escrituras Sagradas. A teologia e a prática do Aconselhamento Bíblico devem ser extraídas primordialmente das Escrituras Sagradas (Salmos 19.7-11; 2 Timóteo 3.16-17; Hebreus 4.12).

                O ministério focado na transformação à imagem de Jesus Cristo – Mudança, um processo de transformação profunda e abrangente centrada na pessoa de Jesus Cristo, que atinge o homem interior e também o comportamento exterior enquanto manifestação da vida interior e resulta na própria semelhança de Cristo. Transformação acontece à medida que a Palavra de Deus é aplicada ao coração pelo Espírito Santo (Romanos 8.29; 2 Coríntios 3.18; Efésios 4.22-24).

                O ministério confiado ao Corpo de Cristo – A Palavra de Deus aponta que o aconselhamento é um ministério a ser exercido pelo Corpo de Cristo, dentro da dinâmica da Igreja. O Conselheiro Bíblico deve ser um cristão comprometido, conhecedor da Palavra de Deus e preparado para interpretá-la corretamente, conhecedor também da cultura e problemas na sociedade e capaz de aplicar a verdade de Deus à vida diária (Romanos 15.14; 1 Tessalonicenses 5.11, 14).

A vida cristã começa pela graça, pela atividade do Espírito Santo de Deus, e deve ser continuada da mesma maneira. Os salvos foram criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.

“Pois foi Deus quem nos fez o que somos agora; em nossa união com Cristo Jesus, ele nos criou para que fizéssemos as boas obras que ele já havia preparado para nós.” Efésios 2.10

“Portanto, meus queridos amigos, vocês que me obedeceram sempre quando eu estava aí, devem me obedecer muito mais agora que estou ausente. Continuem trabalhando com respeito e temor a Deus para completar a salvação de vocês. Pois Deus está sempre agindo em vocês para que obedeçam à vontade dele, tanto no pensamento como nas ações.” Filipenses 2.12-13

“Porém continuem a crescer na graça e no conhecimento do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Glória a ele, agora e sempre! Amém!” 2 Pedro 3.18

Deus concedeu aos crentes os meios da graça para a realização das boas obras e crescerem na graça. Crescemos espiritualmente quando os pecados são vencidos em nossas vidas. Crescemos espiritualmente quando o crente se torna mais parecido com Jesus Cristo tanto no interior como no exterior.

Crescemos espiritualmente quando:

Ouvimos a Palavra,

Lemos a Palavra,

Estudamos a Palavra (2Tm 2.15),

Memorizamos a Palavra (Sl 119.11),

Meditamos na Palavra (Sl 119.23-24),

Praticamos a Palavra.